ME DÁ TUA MÃO !

Data

 ~ 

Local

Teatro West Plaza - Av. Francisco Matarazzo, s/n - Água Branca, São Paulo - SP, 05003-020, Brasil Sala Nicete Bruno

Sobre o evento

Uma história de amor. Uma narrativa que une o sertão ao mar. Um homem recebe visitas em sua casa enquanto sua mulher, pede sua mão. A história deste casal revela as personagens de toda a família, seus amores, tristezas e sonhos. O Jornal Estado de S. Paulo, João Cury, classificou o espetáculo de “Beleza pura”. A Folha de S. Paulo indicou as temporadas na cidade de São Paulo. O crítico Mauricio Mellone, do Blog Favo do Melloneobserva” Mais do que o relato do relacionamento entre um homem e uma mulher, o monólogo atinge as pessoas por tocar em temas profundos e tão próximos de cada um de nós, como amor, inveja, envelhecimento, solidão, vida e morte, o destaque do espetáculo é para a interpretação de Torres, que envolve e emociona a todos”. Luis Carlos Merten,repórter e crítico do Jornal O Estado de S. Paulo,escreveu: “Clóvysconta uma história de superação. O filho, o menino que foi dormir no fundo do mar e eu não pude deixar de pensar em Alfonsina. Por la blanda arena que lambe elmar… A mulher, o pai…O lamento do berrante. Fiquei magnetizado naquela hora e 15. Clóvys constrói/desconstrói seu drama com o mínimo de elementos. Tapete, cadeira e sua roupa de príncipe, que ele bordou... Puta ator charmoso, viril. Encarna o masculino e o feminino. É brechtiano – subordina sua emoção à técnica. ” Luciana Saddi, diretora de Cultura e Comunidade da Sociedade Brasileira de Psicanalise de São Paulo“não percam esse pequeno grande espetáculo que tem a força poética de um tonado”

Sobre o evento

Me dá Tua Mão

           

Uma história de amor.

Uma narrativa que une o sertão ao mar. Um homem recebe visitas em sua casa enquanto sua mulher, pede sua mão.

A história deste casal revela as personagens de toda a família, seus amores, tristezas e sonhos.

O Jornal Estado de S. Paulo, João Cury, classificou o espetáculo de “Beleza pura”.

A Folha de S. Paulo indicou as temporadas na cidade de São Paulo.

O crítico Mauricio Mellone, do Blog “Favo do Melloneobserva” Mais do que o relato do relacionamento entre um homem e uma mulher, o monólogo atinge as pessoas por tocar em temas profundos e tão próximos de cada um de nós, como amor, inveja, envelhecimento, solidão, vida e morte, o destaque do espetáculo é para a interpretação de Torres, que envolve e emociona a todos”.

Luis Carlos Merten,repórter e crítico do Jornal O Estado de S. Paulo, escreveu: “Clóvys conta uma história de superação. O filho, o menino que foi dormir no fundo do mar e eu não pude deixar de pensar em Alfonsina. Por la blanda arena que lambe elmar… A mulher, o pai…O lamento do berrante. Fiquei magnetizado naquela hora e 15. Clóvys constrói/desconstrói seu drama com o mínimo de elementos. Tapete, cadeira e sua roupa de príncipe, que ele bordou... Puta ator charmoso, viril. Encarna o masculino e o feminino. É brechtiano – subordina sua emoção à técnica. ”

Luciana Saddi, diretora de Cultura e Comunidade da Sociedade Brasileira de Psicanalise de São Paulo “não percam esse pequeno grande espetáculo que tem a força poética de um tonado”